Plano Alto “Ele é um jornalista não muito imparcial”,  comenta Juan Alba sobre personagem em Plano Alto 

“Ele é um jornalista não muito imparcial”,  comenta Juan Alba sobre personagem em Plano Alto 

Ator interpreta um editor de política de um veículo de comunicação

“Ele é um jornalista não muito imparcial”,  comenta Juan Alba sobre personagem em Plano Alto 

Ator interpreta o jornalista Carlos Alberto

Ator interpreta o jornalista Carlos Alberto

Divulgação/Rede Record

Juan Alba é um dos integrantes do elenco da nova minissérie da Record, Plano Alto.  Em entrevista ao R7, o ator contou detalhes de seu personagem, o jornalista Carlos Alberto.

─ Ele é editor de política de um veículo de comunicação, que tem ligações com o governador do Rio, Guido Flores (Gracindo Junior). Além disso, é casado com Maria Luísa (Francisca Queiroz), filha do governador. Carlos Alberto é um jornalista não muito imparcial, porque acaba favorecendo o sogro.

Porém, a descoberta de uma “pulada de cerca” muda a postura do personagem de Juan Alba, como conta o ator.

─ No meio de uma CPI, ele fica sabendo de uma traição da esposa e quem “paga o pato” é o governador, seu sogro. Esta é uma situação interessante, pois mostra como o poder pode influenciar nas relações entre as pessoas. A partir de um acontecimento, é possível tomar atitudes a favor ou contra o indivíduo que você apoia. Estou muito feliz com o personagem, que talvez seja um dos meus mais contemporâneos trabalho em teledramaturgia.

+ Sempre juntos, Carla Diaz e Bernardo Falcone se divertem nos bastidores de Plano Alto

O ator ressalta a frieza de seu personagem e revela como se preparou para o papel.

─ Como todo jornalista, ele trabalha mais com a razão do que emoção. É objetivo e duro. No meu caso, por conseguir mudar de lado devido a um problema pessoal, Carlos Alberto demonstra bastante frieza. Procurei trabalhar esta característica, me “limpando” para que o conteúdo seja corretamente exposto. Aliás, quando o autor é do nível de Marcílio Moraes, o texto vem pronto.

O ator diz, ainda, que é a favor de qualquer manifestação de insatisfação popular.

─ Tudo que acontece tem sua devida importância. Os protestos são sinais de que o governo não vai bem. É comum nos depararmos com manifestações de sindicatos, mas uma comoção nacional do povo, sem ligações partidárias, é começo de uma grande mudança. No Brasil, parece que a indignação ficou nos anos 80 e voltou agora.

    Access log