Vidas em Jogo Marcos Pitombo fala sobre seu personagem em Vidas em Jogo

Marcos Pitombo fala sobre seu personagem em Vidas em Jogo

Galã interpreta um motorista de van na novela da Record

Marcos Pitombo fala sobre seu personagem em Vidas em Jogo

Marcos Pitombo é o Lucas em Vidas em Jogo

Marcos Pitombo é o Lucas em Vidas em Jogo

Munir Chatack/Rede Record

A novela Vidas em Jogo, de Cristianne Fridman, tem como fio condutor um grupo de dez amigos que ganha na loteria e fatura uma bolada de R$ 200 milhões.

No folhetim, Marcos Pitombo vive o personagem Lucas, um motorista de van que namora há dois anos a taxista Andrea (Simone Spoladore). O casal inicia a trama no ponto alto do amor, como explica o ator em entrevista ao R7.

— É um barato fazer o Lucas. Eu estou gravando muito com a Simone Spoladore, que interpreta a Andrea. É a história de um casal que está no auge da relação quando a novela começa. Um pedindo para casar com o outro.

O fato da namorada trabalhar como taxista, profissão na qual os homens são a maioria, desperta certo ciúme em Lucas e, consequentemente, atrapalha a vida do casal.

— A trama mostra como o Lucas lida com a mulher dele trabalhando em um local difícil para o sexo feminino. Ele tem uma sementinha de machismo.

Marcos Pitombo acredita que o personagem é um grande desafio em sua carreira.

— As dificuldades são desafiadoras, porém, muito interessantes. Está sendo incrível.

Antes de iniciar as gravações de Vidas em Jogo, os atores passaram por alguns treinamentos, entre eles, um workshop sobre cenas de ação. Depois, cada artista teve algo mais específico, voltado ao seu papel no folhetim. Apesar de dirigir há anos, Pitombo não escapou das aulas de como guiar uma van.

— Eu tive que aprender a guiar uma van. Já dirijo há muito tempo, mas precisei ter aulas, pois é um pouco diferente, devido às dimensões.

Aproveitando o enredo da novela, o galã revelou o que faria com R$ 200 milhões.

— Eu tentaria usar esse dinheiro da forma mais inteligente possível, aplicaria uma parte. Mas é tanto dinheiro que não dá nem pra pensar. Óbvio que compraria um apartamento para mim e outro para minha mãe.

* Colaborou Stefano Brandi, estagiário do R7.

** Matéria publicada originalmente em 03 de maio de 2011.

    Access log