Daniela Escobar revela o que aprendeu com Ângela 

Atriz relembra a personagem fofoqueira que viveu em Apocalipse e diz que a vida que levamos é fruto das nossas escolhas diárias

Daniela relembra bastidores da trama

Daniela relembra bastidores da trama

Munir Chatack/Record TV

Morando há 15 anos nos Estados Unidos, Daniela Escobar enfrentou o desafio de ficar afastada da família por alguns meses para poder viver Ângela Menezes em Apocalipse, que está de volta à tela da Record TV em uma versão especial. “O que me fez aceitar o convite foi o tema, o fim do mundo. Fiquei bastante curiosa para ver de perto como seria tratado o Apocalipse. A curiosidade é o que mais me move nessa vida”, confidencia a atriz.

Na trama, Ângela é voluntária e também canta no coral da igreja do pastor Jonas. Apesar de querida, carinhosa e divertida, também é dramática e dissimulada. Ela adora fofoca e não perde a oportunidade de fazer intrigas. A personagem ainda culpa o ex-marido por sua infelicidade e vai demonstrando ao longo do folhetim que é insegura, ressentida e pessimista. “Se você parar para assistir os telejornais por um mês, verá dezenas de Ângelas por dia.  Fiz a construção a partir do texto mesmo e dessas histórias bizarras que são exibidas todos os dias”, comenta.

Das lembranças que leva da trama, Daniela tem uma cena preferida: “Lembro da Ângela se arrastando pelo chão do ‘inferno’ com a maquiagem de efeitos super bem feita, me senti em uma daquelas séries de zumbis”, conta.

A atriz acredita que entre as lições aprendidas com Apocalipse está a de que a vida que levamos é fruto das nossas escolhas diárias. “Essas escolhas são fruto do que acreditamos e dos hábitos que cultivamos e repassamos”, diz.

Daniela também destaca outro ensinamento que Ângela pode deixar ao telespectador: “Que fofoca é um dos sentimentos mais baixos que existem, mas isso eu já sabia”.

A novela Apocalipse vai ao ar de segunda a sexta-feira, a partir das 20h30, na tela da Record TV.