Mesmo curado é preciso continuar com as precauções contra a covid-19, afirma infectologista

O infectologista Edmildon Migowiski afirmou que, mesmo curado, o paciente deve continuar com as medidas de precaução contra a covid-19, pois o vírus pode continuar presente na garganta. Segundo o especialista, há relatos de que esse vírus pode ficar até 31 dias na pessoa e, para que esse infectado volte a entrar em contato com outras pessoas, é necessário que faça um exame para confirmar a negatividade do vírus.