Balanço Geral RJ Após feminicídio de juíza no Rio, eficácia das medidas protetivas volta a ser discutida

Após feminicídio de juíza no Rio, eficácia das medidas protetivas volta a ser discutida

Após o assassinato da juíza Viviane Vieira do Amaral Arronenzi, no último dia 24, o debate sobre a eficácia das medidas protetivas voltou a ficar em alta. Juliana também foi vítima de feminicídio, ela teve o rosto queimado após o ex-marido invadir a casa e jogar óleo quente nela. Juliana então solicitou a medida protetiva, porém abriu concessões e permitiu a reaproximação por causa dos filhos.

Últimas