Balanço Geral Falso massagista é acusado de assédio no litoral de São Paulo

Falso massagista é acusado de assédio no litoral de São Paulo

O homem fazia diferentes abordagens para atacar as vítimas e passou a ser investigado após denúncias

Resumindo a Notícia
  • Um homem alegava ser massagista profissional em estabelecimentos;

  • Ao ganhar um pouco de confiança das funcionárias, ele oferecia seu serviço gratuito;

  • Quando conseguia agir, aproveitava para tocar as mulheres de forma suspeita;

  • A polícia recebeu depoimentos de assédio sexual, e tomou providências.

O homem se aproveitava da inocência de funcionárias cansadas

O homem se aproveitava da inocência de funcionárias cansadas

Reprodução/RECORD

Balanço Geral acompanha um caso que envolveu muitas mulheres e um único homem. Após várias denúncias, a polícia de Peruíbe (SP) iniciou as investigações sobre um falso massagista no litoral paulista. 

De forma despretensiosa, o homem se articulava para executar seu plano com as funcionárias de estabelecimentos locais. Ele aproveitava, principalmente, horários de pouco movimento e lojas vazias para agir. Além de contar, também, com a inocência das vítimas. 

Primeiro, ele se apresentava como massagista profissional, alegando que saiu da capital para abrir uma clínica no litoral. Depois, oferecia seus serviços de forma experimental, na promessa de aliviar dores nas costas. 

O circuito de segurança de uma lanchonete gravou o momento em que o homem transformou o local em sala de massagem. Em meio às mesas, ele começou a tocar uma funcionária, e gradativamente os movimentos ficaram suspeitos, ultrapassando o devido limite. 

Dias depois, ele foi flagrado fazendo o mesmo em uma loja de roupas. Lá, ele esperou a vendedora ficar sozinha e desprotegida para agir. Em questão de segundos após o início da massagem, o homem leva as mãos aos seios da mulher. Logo depois, ele é visto correndo pela rua. 

No Boletim de Ocorrência realizado, uma das vítimas alega que percebeu algumas atitudes estranhas do suspeito. Como, por exemplo, puxar o cabelo, e pedir para que sentasse em seu colo. 

Para conseguir ter acesso às mulheres, esse homem chegou até a mudar a forma de abordagem. Em outro caso, ele se apresentou como "olheiro" de uma agência de modelos e disse que estaria interessado em fotografar a jovem.

Porém, mais uma vez, a falsa promessa logo virou abuso. Dessa vez, o homem começou a passar as mãos nas pernas da vítima. 

Agora, a polícia paulista efetuou a prisão do suspeito, que permanece à disposição da Justiça. Nos próximos dias, os investigadores esperam receber mais denúncias sobre os ataques do falso massagista. 

Confira na íntegra:

Acompanhe atualizações de casos como esse no Balanço Geral. O programa vai ao ar de segunda a sexta, às 11h50; e aos sábados, às 13h, na RECORD.

Últimas