Balanço Geral "Havia sido feita de escrava sexual", afirma delegada procurada por mulher em desespero

"Havia sido feita de escrava sexual", afirma delegada procurada por mulher em desespero

Desde 2020, Dário Salomão aplicava golpes e chantagens que acabavam em estupro e controle da vítima; entenda o caso

Resumindo a Notícia
  • Um homem se passava por uma agente de modelos para atrair mulheres;

  • Ao conquistar a confiança delas, começava a fazer chantagens e abusos;

  • Uma das vítimas conseguiu escapar do ciclo violento e acionou a polícia;

  • As delegadas do caso deram detalhes do crime e das investigações.

O homem criou uma longa lista de crimes sexuais

O homem criou uma longa lista de crimes sexuais

Reprodução/RECORD

O Balanço Geral mostrou um caso chocante, de golpe seguido de chantagem, que acabou em crime sexual. Dário Salomão, de 34 anos, se passava por uma mulher na internet para ganhar a confiança das vítimas, que depois foram surpreendidas e pagaram um preço caro por isso. 

Com um perfil feminino, o homem dizia ser representante de uma agência de modelos, e pedia fotos íntimas para as possíveis candidatas, na promessa de que iria conseguir trabalhos no exterior para elas. Ao ter as imagens, ele se revelava e começava a chantagem.

A equipe do programa conversou com Larissa Marcotte e Renata Ribeiro, delegadas responsáveis pelo caso. As oficiais de Justiça deram detalhes de como tudo aconteceu, além de revelarem informações sobre as investigações. 

Segundo Larissa, os crimes de Dário se iniciaram em 2020, na região metropolitana de Salvador (BA), quando uma mulher foi contactada por ele. Após ter posse das fotos dela, o homem ameaçou divulgar publicamente caso ela não o encontrasse presencialmente. 

Com medo, ela foi, e lá, tudo piorou. O criminoso a abusou sexualmente e ainda gravou a ação. Com os vídeos do estupro, ele intensificou as ameaças, afirmando que poderia acabar com a vida dela.

Então, o homem passou a obrigar a vítima a realizar programas sexuais sem receber nada em troca. Na verdade, ele mesmo marcava diretamente com os clientes, se passando por ela, e ficava com todo o dinheiro que seria recebido. 

Na tentativa de se livrar dos abusos, ela fugiu da cidade e se mudou para Belo Horizonte (MG). Porém, mesmo à distância, o suspeito passou a controlar a vítima. Por meio de um "aplicativo espião", ele não deixou ela escapar. 

Renata contou que Dário colocou um dispositivo no celular da mulher, pelo qual ele controlava todos os passos e conversas da vítima. Apesar de já estar em outro estado, ele agendava os programas para ela, e ficava com todo o valor obtido. "Ela sofria violência psicológica", afirmou. 

Larissa disse, ainda, que a vítima conseguiu sair desse ciclo violento apenas agora, quando contou a situação para uma parente, que a encorajou a denunciar para a polícia. "Nos procurou relatando que havia sido feita de escrava sexual", disparou. 

Já amparada pelas autoridades, a mulher teve o seu celular confiscado pela perícia. Após quatro dias de investigações, o criminoso foi localizado e preso. Larissa revelou que foram apreendidos, também, diversos dispositivos eletrônicos na casa do homem. 

Agora, as autoridades tentam descobrir se ele agia sozinho, ou se exitem outros envolvidos no crime. 

Confira na íntegra:

Acompanhe atualizações de casos intrigantes como esse no Balanço Geral. O programa vai ao ar de segunda a sexta, às 11h50; e aos sábados, às 13h, na RECORD.

Últimas