“Aqui é tiro, porrada e bomba”, diz representante de Paraisópolis sobre atuação da polícia

Geraldo Luis foi até a comunidade de Paraisópolis, na zona sul de São Paulo, e percorreu o trajeto em que houve o tumulto que terminou com a morte de nove jovens durante um baile funk. Em entrevista ao apresentador, Gilson Rodrigues, presidente da Associação de Moradores de Paraisópolis, conta que o resultado dos pancadões é sempre o mesmo: repressão policial. Para assistir ao conteúdo na íntegra, acesse o PlayPlus.com