Maitê Proença revela drama: “minhas pessoas foram morrendo todas de forma trágica”

Maitê Proença, de 62 anos, resolveu falar abertamente sobre as tragédias que passou e abriu o coração. Em 1970, seu pai, o procurador de justiça Augusto Carlos, matou a facadas sua esposa, por ciúmes, a professora Margot Proença, em Campinas (SP). Maitê tinha 12 anos e acabou sendo testemunha de defesa do pai, que foi absolvido. Em 1989, seu pai se suicidou. Na sequência, seu irmão adotivo também tirou a própria vida. "As minhas pessoas foram morrendo todas e todas de forma trágica", revelou. Agora ela escreveu uma peça de teatro, contando sobre seu drama familiar. O nome da peça é "O Pior De Mim" e será exibida somente online.