Câmera Record Câmera Record mostra o impacto da pandemia na alimentação 

Câmera Record mostra o impacto da pandemia na alimentação 

Programa deste domingo (4) traz relatos de pessoas que tiveram problemas de saúde no período de isolamento social; saiba mais!

Câmera Record mostra as mudanças na alimentação durante o período de isolamento

Câmera Record mostra as mudanças na alimentação durante o período de isolamento

Divulgação/RecordTV

Neste domingo (4), o Câmera Record mostra o impacto do isolamento social na alimentação das pessoas.

A dançarina Alline Azevedo vivia a rotina dos sonhos: muitas viagens e shows ao lado de uma das maiores estrelas do Brasil - a cantora Anitta. Com a pandemia, tudo mudou. Diante das apresentações canceladas e o isolamento, Alline acabou ganhando peso.

Quando reapareceu ao lado da cantora, em uma live realizada em fevereiro deste ano, a dançarina chamou a atenção de alguns fãs: estava com 20 quilos a mais. Ela se entristeceu com as críticas que recebeu na internet.  "Falavam que uma bailarina da Anitta não podia estar com esse corpo, que eu tinha engordado", diz Alline.

A briga com o peso passou a fazer parte da rotina de mais da metade dos brasileiros neste período. De acordo com uma pesquisa divulgada pelo Instituto Ipsos no começo do ano, 52% dos entrevistados relataram ter engordado durante a pandemia.

É o caso de Roberto Shintane, de 37 anos, ele chegou aos 140 quilos. "Eu já estava obeso antes da pandemia. Perdi o controle. Minha esposa dizia: 'você está comendo muito'. Mas eu não percebia, simplesmente não percebia", ele conta.

O ganho excessivo de peso pode estimular a busca por dietas bem restritivas, mas os especialistas alertam: mudanças radicais em um momento delicado podem ser perigosas. "O sucesso de uma dieta não é o quanto que a gente restringe, mas é o quanto que a pessoa se adapta. A adaptação terá um resultado", diz a nutricionista Gabriela Cilla.

Para William de Oliveira, a pandemia foi mais um obstáculo para um desafio enorme. Ele já chegou a quase 300 quilos. E seguia tratamento para perder peso quando veio a pandemia. Nem assim ele deixou de fazer caminhadas pelas ruas - não queria voltar a engordar de jeito algum. "Pra emagrecer, você tem que estar com cabeça boa. Se você tá preocupado, chateado, triste, alguma coisa assim, parece que não vai, sabe?", ele diz.

Mas o problema com o ganho de peso não é a única questão. No caso de Carolina Hissnauer, o tratamento contra a bulimia nervosa se tornou ainda mais turbulento quando ela se viu isolada da avó. Dona Inês sempre cuidou da comida da neta com carinho. "Eu tinha muitas crises de humor. Às vezes, eu acordava muito bem, mas depois eu começava a ficar muito mal e entrava na depressão total", ela conta. Só com o retorno da avó as coisas melhoraram.

No nosso podcast, uma conversa com a nutricionista e coach de saúde Ligia Henriques, sobre os alimentos mais indicados para uma alimentação equilibrada.

Não perca o Câmera Record deste domingo (4), que marca o retorno de Marcos Hummel ao comando do programa!

Últimas