Câmera Record Câmera Record acompanha o trabalho dos guarda-vidas nas praias brasileiras

Câmera Record acompanha o trabalho dos guarda-vidas nas praias brasileiras

Mesmo com a pandemia, os números de mortes e afogamentos nas praias da Baixada Santista são muito semelhantes

O time de guarda-vidas está na areia, na água e no ar, e sempre de olho no banhistas desatentos, que pensando apenas em se divertir, colocam a própria vida em risco em alto mar. Em 2019 os bombeiros registraram, apenas na Baixada Santista, mais de 3,2 mil afogamentos e 105 mortes. Em 2020 foram quase 3 mil ocorrências de afogamento e 95 óbitos. Os números são muito parecidos nos dois anos, apesar das praias terem sido fechadas por mais de 4 meses por causa da pandemia. E 2021 já começa com mais casos pelo país. 

Últimas