Entrevistas Nicholas Torres fala sobre lançamento de filme e experiência no cinema ao lado de grandes nomes: "Surreal" 

Nicholas Torres fala sobre lançamento de filme e experiência no cinema ao lado de grandes nomes: "Surreal" 

O jurado do Canta Comigo 5 também relembra a carreira infantil e revela a vontade de crescer no cenário musical

  • Entrevistas | Carol Rios, do site oficial

Filho de músicos, Nicholas Torres se apaixonou pela carreira artística ainda criança

Filho de músicos, Nicholas Torres se apaixonou pela carreira artística ainda criança

Reprodução/Instagram

Há pouco mais de dez anos, Nicholas Torres saiu do anonimato para o estrelato após se destacar em uma novela infantil. Hoje, o rapaz de múltiplos talentos e jurado do Canta Comigo 5 busca inspirar aqueles que desejam seguir a carreira artística e aguarda sua estreia na comédia nacional Vai Ter Troco, que deve chegar nas telonas em agosto.

Filho de músicos, Nicholas Torres conta ao site oficial que o dom para cantar foi descoberto pelos pais por um acaso. “Quando eu tinha 4 ou 5 anos, costumava acompanhar os meus pais nas serenatas, então já sabia todo o repertório. Em um certo dia, eles estavam ensaiando e eu comecei a cantar uma voz que não existia na música original. Eles olharam para mim e perceberam que era eu”, relembra.

A partir de então, o cantor começou a participar do grupo de serenatas Trovadores Urbanos Mirins e a fazer jingles para grandes marcas. Em seguida, foi convidado para participar do grupo Palavra Cantada e gravou três discos com a dupla. “Nos conhecemos em um evento. Com eles, eu tive o meu primeiro contato com um público grande”, conta.

Ele revela que tinha muita vergonha de estar nos palcos e precisou aprender a se soltar. “Eu era tímido e muito travado. Gostava de fazer aquilo, mas não conseguia olhar para o público. Foi o Palavra Cantada que me abriu diversas portas e eu comecei a despontar. Devo muito a eles por isso”, acredita.

Os palcos se tornaram a segunda casa de Nicholas. O ator chegou a participar de grandes musicais e peças de teatro como O Rei e Eu  Príncipe do Bolinho, Família Addams e O Menino Maluquinho. Através da Cia Mas Porque, ele também interpretou personagens em mais de 15 peças infantis.

Crescimento na carreira

O primeiro trabalho com a dublagem aconteceu em Os Backyardigans. Ele recorda a emoção que sentiu com o convite para ser a voz brasileira de Austin. “Eu assistia ao programa e era fã do Dino. Foi meu primeiro papel, aí, quando comecei a dublar, sabe quando dá aquele tilt na cabeça e você fala: ‘nossa, eu sou ele?”, brinca.

Aos 12 anos, Nicholas interpretou um personagem de novela infantil que mudaria a sua vida profissional e pessoal. “Eu entrei em janeiro na escola como um aluno normal. Não era famoso, mas quem me acompanhava na dublagem e no teatro musical me conhecia. A novela estreou em maio e as pessoas começaram a falar: ‘não é o moleque da novela?’. Todo mundo veio tirar foto e deu aquele choque de que a minha vida mudou”, conta.

Totalmente acostumado com a agenda de ensaios, gravações e shows, o ator garante que era um aluno inteligente e dedicado nos estudos. “A escola já sabia da minha trajetória, então eles sempre me liberaram e eu garantia nas notas; conseguia tirar entre nove e dez. Os meus pais sempre foram bem rígidos com a minha educação, então eu já cresci com uma base bem bacana”, comenta.

Acho que a música é o que fala mais alto em mim até hoje

Nicholas Torres

Em 2015, Nicholas resolveu investir mais na carreira como cantor em paralelo com a atuação e lançou a sua primeira canção autoral. “Acho que a música é o que fala mais alto em mim até hoje e sempre vai falar. Minha meta de carreira é fazer filmes, novelas e séries, mas também ter a carreira musical bem em alta, se Deus quiser”, espera.

Atualmente, o cantor se apresenta em casamentos, eventos corporativos e algumas festividades promovidas por prefeituras, mas sonha em fazer um show completamente autoral. “É um grande passo na minha carreira. Independente dos projetos em que eu estou, é na música que eu quero realmente investir e ter todas as canções na boca do povo. A gente está trabalhando cada vez mais para esse caminho”, garante.

Nos cinemas

Em agosto, estreia o filme Vai Ter Troco sob direção de Maurício Eça. A comédia nacional acompanha a história da família de Afonso (Marcos Veras) que esbanja em festas e jantares para a alta sociedade, mas fica meses sem pagar o salário dos funcionários. Até que os empregados decidem cobrar o pagamento e a situação sai do controle.

Nicholas Torres, que interpreta John John, o filho de Afonso, conta que o público pode esperar algumas alfinetadas políticas e uma boa dose de humor. “Depois que a situação sai do controle, algumas coisas do John John são penhoradas e para que ele continue tendo a vida de luxo, vai fazer programas”, revela.

A produção conta com nomes fortes do cinema nacional, como Miá Mello, Marcos Veras, Giovanna Grigio, Nany People, Edmilson Filho, Evelyn Castro, Nicholas Torres, Denise Del Vecchio e Saulo Laranjeira. “Quando eu soube que iria atuar com eles, em um primeiro momento me deu um medo do tipo: quem sou eu para estar ali? Mas foi de grande aprendizado no dia a dia mesmo. Era o tempo inteiro todo mundo rindo”, conta.

Fã da comédia, Nicholas espera que o longa abra outras portas. “Foi uma experiência surreal em todos os sentidos e, quem sabe, é um pontapé para esse lado e para pegar outras produções cômicas também. É uma vertente que eu gosto muito”, explica.

Passando o conhecimento adiante

Nicholas uniu todos os conhecimentos adquiridos ao longo dos mais de 15 anos de experiência e decidiu ajudar outros que desejam seguir pela carreira artística através do treinamento O Caminho do Sucesso. Ao lado do empresário Rodrigo Dantas, ele ensina os alunos de todo o Brasil a lidarem com o “não”, a como se comunicarem de maneira assertiva e formas de utilizar as redes sociais em benefício próprio. 

“Eu conto um pouco da minha trajetória, reforço a importância de estudar, de ter uma base familiar e de criar uma identidade justamente para mostrar a realidade do meio artístico e para abrir a cabeça das pessoas. É para quem não sabe como começar e o que fazer, mas quer entrar para este universo”, fala.

Lidando com histórias de vida

Nicholas também lida com aspirantes a artistas no Canta Comigo 5 e abraça com responsabilidade a missão de estar diante de sonhos e histórias de vida. “Cada um passou por um monte de perrengue para estar ali, então eu tento me conectar sempre com a história. Tem sido uma experiência linda para mim também”, diz.

Nicholas revela que o maior critério para cantar com um candidato é a emoção transmitida na apresentação. “Eu sou muito do 'arrepiômetro'. Acho que todo mundo canta bem, mas tem que ter aquela coisa de se rasgar e de se mostrar. Às vezes, conta muito mais do que a técnica”.

Ele garante, entretanto, que também está de olho na afinação dos participantes. “A pessoa errou na música ou sentiu mais o nervosismo e não conseguiu entregar tudo, então a gente tenta levar isso em consideração”, ressalta.

O jurado acredita que o estudo é fundamental para os candidatos que almejam ingressar no mundo artístico e entende que é possível aproveitar a oportunidade de estar no programa mesmo que sejam eliminados. “É mais uma porta aberta e amanhã vai ter outra, e outra, e a gente tem que batalhar. É um leão por dia. Isso exige muita dedicação e persistência, por mais difícil que seja. É preciso levar como uma experiência boa e considerar como um pontapé para não desistir e continuar sempre batalhando”, conclui.

Fique ligado! A grande final do Canta Comigo 5 vai ao ar aos domingos, às 18h, na tela da Record TV. Você também pode acompanhar todas as novidades no site oficial do reality musical!

Últimas