Cidade Alerta Arma macabra: homem ameaça usar a cabeça da sogra morta para assustar a esposa

Arma macabra: homem ameaça usar a cabeça da sogra morta para assustar a esposa

Ao ser levado para a delegacia, o agressor revelou o motivo do atentado e intrigou as autoridades; entenda o caso

Resumindo a Notícia
  • A polícia foi acionada pela família de uma mulher que sofria agressões do marido;

  • Em última ameaça, o homem garantiu que iria violar o cadáver da sogra, já enterrado;

  • As autoridades impediram o crime e apreenderam o agressor;

  • Na delegacia, o motivo alegado pelo homem e a reação da sua esposa chocaram a todos.

O homem estava disposto a cavar até encontrar o cadaver

O homem estava disposto a cavar até encontrar o cadaver

Reprodução/RECORD

Cidade Alerta mostrou um caso surpreendente, de mais um método usado por agressores contra mulheres. A atitude de um homem chocou a cidade Taquaral de Goiás, no interior do estado. 

Com o aumento dos casos de violência doméstica no Brasil, a intensidade do terror nas ações também cresce.

O que chama a atenção no caso é a ideia macabra do agressor, nunca vista antes, para assustar a sua esposa. 

Segundo relatos da família da vítima, o relacionamento do casal já tem um histórico de violência, tanto física como psicológica por parte do homem. 

Os parentes da mulher procuraram a polícia após intimidação aterrorizante feita pelo companheiro dela. Para assustar a própria esposa, o homem ameaçou usar a sogra, já falecida. 

Ele garantiu que iria até o túmulo dela, violentaria sua cova, decapitaria o corpo, e levaria a cabeça da falecida de volta para casa. 

Ao serem acionadas, as autoridades foram até o cemitério onde tudo aconteceria, e o homem já estava cavando à procura do cadáver. A polícia, então, impediu a conclusão do crime e apreendeu o sujeito. 

Ele foi encaminhado até a delegacia local e, chegando lá, alegou para o delegado que a culpa era do álcool. O criminoso disse que bebeu demais e não tinha consciência dos seus atos. Porém, o oficial de justiça não aceitou a justificativa. 

A esposa agredida, ao chegar na delegacia, deu um depoimento inesperado e tentou defender o marido, mas não funcionou.

Foram iniciadas as investigações contra o agressor, que vai responder por vilipêndio de cadáver. Ou seja, a falta do respeito com o corpo sem vida. O crime tem pena prevista entre um e três anos de reclusão. 

Acompanhe casos intrigantes como esse no Cidade Alerta. O programa vai ao de segunda a sexta, a partir das 16h45. E aos sábados, a partir das 17h, na tela da RECORD.

Confira também: "Tem prazer na maldade", diz delegado sobre deboche de suspeitos após assassinato

Últimas