Conselhos para cuidar do pé diabético

O pé diabético é uma causa comum de hospitalização. Para evitar complicações maiores, é essencial aprender a cuidar dele corretamente.

Melhor com Saúde - Amor sem Igual

Melhor com Saúde - Amor sem Igual

Melhor com Saúde - Amor sem Igual

Cuidar do pé diabético é de extrema importância, já que esta doença faz com que o paciente seja mais suscetível a certos tipos de lesões, sejam intrínsecas ou extrínsecas. Portanto, trata-se de uma condição de risco.

Essa doença provoca um aumento significativo dos níveis de glicose no sangue (açúcar). Isso ocorre quando há escassez ou ausência da secreção de insulina.

A insulina é um hormônio secretado pelo pâncreas que ajuda a glicose dos alimentos a entrar nas células para fornecer energia. Se não houver insulina suficiente, a glicose permanece no sangue, causando sérios problemas de saúde ao longo do tempo.

O que é o pé diabético?
Como cuidar do pé diabético?

Como cuidar do pé diabético?

Melhor com Saúde - Amor sem Igual

O pé diabético é um distúrbio clínico de origem neuropática (envolvimento dos nervos) e induzido pela hiperglicemia (alto nível de açúcar). Pode ocorrer com ou sem coexistência de isquemia (falta de suprimento sanguíneo), e pode causar lesão ou ulceração do pé.

Atualmente, esta é a principal causa de amputações não traumáticas em diversos países, pois é comum os pacientes sofrerem complicações, como úlceras e neuropatias (perda de sensibilidade). De acordo com a Organização Mundial da Saúde, a diabetes afetará mais de 330 milhões de pessoas até 2030.

No Brasil, o pé diabético é a principal causa de amputações no país depois dos acidentes.

A detecção precoce dos fatores de risco ajudará a reduzir um alto número de lesões associadas ao pé diabético, permitindo e evitando o número de casos extremos que levam à amputação“, diz Alfredo Martínez, presidente do Colégio de Pediatras da Comunidade Valenciana.

Dicas gerais para cuidar do pé diabético
Cuidado ao cortar as unhas dos pés

Cuidado ao cortar as unhas dos pés

Melhor com Saúde - Amor sem Igual
Nunca ande descalço, pois os danos nos nervos diminuem a sensibilidade. Portanto, você não vai sentir pedras ou pequenos objetos que machuquem seu pé. Lave os pés todos os dias com um sabonete neutro e água morna. Não coloque os pés de molho. Para secá-los, dê batidinhas suaves com uma toalha em vez de esfregá-la vigorosamente. Tenha muito cuidado com a secagem entre os dedos dos pés. Use uma loção para manter a pele dos pés macia e hidratada. Isso evita rachaduras como consequência da pele seca e reduz o risco de infecção. Entretanto, não aplique loções ou cremes entre os dedos. Corte as unhas dos pés retas, sem arredondar, e evite cortar os cantos. Use uma lixa de unhas. Se você detectar uma unha encravada, consulte seu médico. Evite usar soluções antissépticas, medicamentos de venda livre, compressas térmicas ou instrumentos afiados e cortantes nos pés. Não coloque os pés na frente de aquecedores. Não fume. Fumar danifica os vasos sanguíneos e reduz a capacidade do corpo de transportar oxigênio. Em combinação com a diabetes, o tabagismo pode aumentar significativamente o risco de amputação (não apenas dos pés, mas de outras partes do corpo, como as mãos).

Isso pode te interessar: Dispositivos de controle da diabetes

Cuide dos seus sapatos
Calçados adequados

Calçados adequados

Melhor com Saúde - Amor sem Igual

Escolha e use seus sapatos com cuidado, pois um calçado que calce mal pode causar uma úlcera e levar a uma infecção.

Quando for comprar sapatos, escolha um momento em que seus pés estiverem bem dilatados. Além disso, o calçado deve ser confortável no momento de experimentar, evitando aqueles que precisam ser “amaciados”. Aliás, esta deveria ser uma regra geral, pois nada justifica sofrer com os pés até que o calçado novo se adapte. Controle o ajuste do seu sapato na largura, comprimento, base do calcanhar, palmilha e sola. Meça seus pés sempre que for comprar sapatos novos. Evite estilos de sapatos muito finos na ponta e saltos altos. Tente comprar sapatos de couro e com forma larga na parte dos dedos. Use sapatos novos apenas por 2 horas ou menos a cada vez. Além disso, não use o mesmo par de sapatos todos os dias. Inspecione a parte interna de cada sapato antes de colocá-lo. Não amarre os sapatos de forma que fiquem muito apertados e nem muito folgados. Evite longas caminhadas sem descanso, organize-se para tirar os sapatos e as meias e controle os sinais de pressão (vermelhidão) ou úlceras.

Leia também: 5 dicas para evitar que os sapatos novos machuquem

Conclusão

Como você pôde ver, é de grande importância que todos os pacientes com níveis altos de açúcar no sangue tomem medidas para cuidar do pé diabético. Além disso, as consultas e exames médicos são imprescindíveis e evitarão complicações.

Se você precisar de mais informações, pode consultar o site da SBD – Sociedade Brasileira de Diabetes.

É diabético e vai viajar? Veja dicas

É diabético e vai viajar? Veja dicas

Melhor com Saúde - Amor sem Igual
É diabético e vai viajar? Veja dicas Viajar com diabetes requer certas precauções, mas pode ser alcançado com sucesso, sem grandes problemas. Portanto, o diabético pode desfrutar suas férias. Leia mais »