Podcast PodCringe "Não sou polêmica, sou autêntica", afirma Mara Maravilha na estreia na segunda temporada do PodCringe

"Não sou polêmica, sou autêntica", afirma Mara Maravilha na estreia na segunda temporada do PodCringe

Em entrevista a Michael Keller, a apresentadora relembra sua trajetória, fala da participação em A Fazenda 8, e também de Xuxa, Angélica e Eliana 

Mara Maravilha tem conversa polêmica e autêntica com Michel Keller

Mara Maravilha tem conversa polêmica e autêntica com Michel Keller

Edu Moraes/Record TV

A nova temporada do PodCringe, podcast comandado por Michael Keller, repórter do Domingo Espetacular, acaba de estrear. A atração está disponível no YouTube, R7.com, PlayPlus e demais plataformas digitais da Record TV

No podcast, Keller recebe a cada semana um convidado especial, geralmente da chamada geração cringe (+ 40 anos), para um bate-papo animado e regado de recordações. 

E no primeiro episódio desta segunda temporada do PodCringe, a convidada é a apresentadora Mara Maravilha, que relembra o início de sua carreira como apresentadora infantil na TV Itapoan, na Bahia. 

Ao ser questionada por Keller sobre quem lhe deu o nome artístico de Mara Maravilha, ela responde, cheia de orgulho: “Silvio Santos, ele pesquisava tudo e descobriu esse programa que eu apresentava na Bahia”. 

Mara relembrou que desde criança sonhava em ser artista, imitava os figurinos das estrelas da TV, arrastava os móveis e fazia seu show em casa. “Na escola eu vivia cantando em festa junina, da primavera, Dia dos Pais. Estava sempre lá”, diverte-se.

A apresentadora também falou sobre a importância de se reinventar sempre, mesmo tendo certa dificuldade, algumas vezes, para enfrentar as transições e polêmicas em que já se viu envolvida por conta da personalidade forte e do jeito direto de ser. “Inteligente eu sou, agora estou buscando upgrade para a sabedoria. As pessoas falam para mim: 'você é polêmica'... Não sou polêmica, sou autêntica, gente”. 

Participante de A Fazenda 8 (2015), Mara Maravilha brinca dizendo que adoraria fazer uma participação especial no reality. “Sinto saudades... Sofri lá, sofri quando sai... Minha cabeça deu uma paranoia, mas cresci e me descobri. Foi uma terapia, um antes e depois de A Fazenda”, analisa ela. 

A relação com as outras apresentadoras infantis de sua época, Xuxa, Angélica e Eliana também é abordada na conversa com Michael Keller. E quando ele pergunta sobre o encontro das loiras no Criança Esperança deste ano, Mara tenta ser conciliadora, mas dispara: “Faltou a cereja do bolo.... Mas, tudo o que tiver que ser, será...”. 

A entrevista completa de Mara Maravilha na nova temporada do PodCringe já está disponível no canal do Domingo Espetacular, no YouTube, R7.com, PlayPlus e demais plataformas da Record TV.

Últimas