Fala Brasil “O apresentador pode e deve se emocionar”, diz âncora do Fala Brasil

“O apresentador pode e deve se emocionar”, diz âncora do Fala Brasil

Sergio Aguiar fala sobre a expectativa de dividir a bancada com Mariana Godoy e comenta as mudanças no formato do telejornal matinal da Record TV

  • Fala Brasil | Juliana Lambert, do site oficial

Sergio Aguiar completa 30 anos de carreira

Sergio Aguiar completa 30 anos de carreira

Edu Moraes/Record TV

A partir da próxima segunda (1º), o Fala Brasil ganha um formato mais opinativo e passa a contar com a experiência da jornalista Mariana Godoy. Sergio Aguiar, que estará ao seu lado na bancada e completa 30 anos de carreira em 2021, vê a novidade como um grande presente: “Eu e Mariana já trabalhamos juntos em uma mesma emissora e até fazíamos o mesmo turno, mas com programas e compromissos diferentes. Agora, temos a oportunidade de dividir a mesma bancada e cada um contribuindo com seu background”, comemora.

Sergio, que assumiu a bancada do telejornal matinal da Record TV no final de 2020 em caráter temporário, está feliz com a oportunidade de vivenciar esse novo momento do Fala Brasil: “O horário da manhã é o mais vibrante do jornalismo, porque o mundo inteiro, independente do seu fuso, está acordado, da América até a Ásia. O produto da manhã tem a responsabilidade de recuperar o que aconteceu à noite para quem está no Brasil, alguns fatos têm continuidade durante a manhã, ainda temos as notícias que surgem durante a manhã e também há o desafio de antecipar o que vem pela frente naquele dia. Por isso, é muito dinâmico. Vamos valorizar ainda mais o ao vivo, dando mais tempo para a entrada dos repórteres do Brasil inteiro e para os nossos correspondentes internacionais”, adianta.

Com o novo formato, o programa vai ganhar mais agilidade e aprofundar conteúdos que estão em pauta, valorizando as entrevistas ao vivo. “Sempre que possível vamos trazer uma personalidade do mundo da política ou alguém que esteja em evidência. Além disso, serão produzidas matérias com personagens de diversos lugares do Brasil para enriquecer o jornal e acrescentar ao público”.

Com a experiência de quem está há três décadas no jornalismo, Sergio observa as mudanças no perfil do apresentador de TV: “Passei por momentos diferentes, desde aquele perfil mais clássico do apresentador, que não emite opinião e nem deixa transparecer a emoção, até o atual, que exige uma postura mais humana. O apresentador pode e deve se emocionar. Ele pode se indignar, cobrar com mais afinco uma postura de uma autoridade e pode sorrir. O apresentador tem que ser mais versátil nesse sentido e humano. As pessoas que estão assistindo têm que se identificar, antes havia um certo distanciamento entre a figura do apresentador de telejornal e o público. Eu acho que esse é o grande desafio, a gente mostrar que é todo mundo brasileiro e estamos em busca de soluções”, conta.

Ele também reforça o peso importante das redes sociais e como o público tenta se aproximar do apresentador por meio delas: “Estava no aeroporto e uma passageira me chamou para falar que o nosso Flamengo estava super bem no campeonato. Eu devo ter comentado em algum momento nas redes sociais e esse foi um jeito que ela encontrou para se aproximar e mostrar que se identifica comigo. As redes sociais permitem isso! O Fala Brasil também usa muito e vai usar ainda mais, eu e Mariana vamos estar ainda mais presentes tanto nas redes do programa, quanto nas redes da Record TV e nas nossas. O objetivo é estar bem conectado”, adianta.

Para finalizar, o âncora observa que cada dia é uma estreia: “Embora eu faça jornal ao vivo diariamente, todo dia é uma estreia! Temos esse carinho todo especial que a direção da Record TV está tratando essa nova fase do Fala Brasil, é um presente que veio em boa hora”, revela.

O Fala Brasil vai ao ar de segunda a sexta-feira, a partir das 8h30, na tela da Record TV.

Últimas