MP/RJ conclui que porteiro mentiu em depoimento no caso Marielle

O Ministério Público do Rio de Janeiro afirmou que o porteiro mentiu ao relacionar o nome de Jair Bolsonaro a um dos suspeitos de envolvimento no assassinato da vereadora Marielle Franco e do motorista Anderson Gomes. A denúncia foi feita pela Rede Globo. Um dos filhos do presidente apresentou registros das ligações feitas no condomínio da família que comprovam a mentira. Para assistir ao conteúdo na íntegra, acesse o PlayPlus.com