CPI da Covid

Fala Brasil Servidora responsável pela compra da Covaxin nega pressão para aprovação do contrato

Servidora responsável pela compra da Covaxin nega pressão para aprovação do contrato

Regina Célia foi nomeada dois dias depois de Bolsonaro ter sido supostamente avisado pelos irmãos Miranda sobre possíveis fraudes na aquisição da vacina

A CPI da Covid marcou para o próximo dia 20 de julho o depoimento do líder do governo na Câmara, Ricardo Barros, suspeito de corrupção em contratos de vacina. A servidora que autorizou a importação do imunizante Covaxin, quando já havia indícios de fraudes no contrato, negou que conheça o deputado. Durante quase um mês, o Ministério da Saúde ficou sem um fiscal responsável pela comercialização da vacina indiana. O contrato com o Laboratório Barath Biotech foi fechado em 25 de fevereiro, mas o fiscal foi nomeado somente em 22 de março. Regina Célia foi nomeada dois dias depois de Bolsonaro ter sido supostamente avisado pelos irmãos Miranda sobre possíveis fraudes na aquisição da vacina.

Últimas