A tentação de José

"Você só sabe se é fiel, quando a sua fidelidade é testada. Quanto maior a resistência à tentação, maior é a fidelidade. E se fugir, melhor ainda"

"José, além de formoso, era jovem quando foi tentado pela esposa de Potifar. É de se esperar que como qualquer rapaz da idade dele, ele era viril e, portanto, tinha suas necessidades físicas bem apuradas, por isso, não foi nada fácil resistir"

"José, além de formoso, era jovem quando foi tentado pela esposa de Potifar. É de se esperar que como qualquer rapaz da idade dele, ele era viril e, portanto, tinha suas necessidades físicas bem apuradas, por isso, não foi nada fácil resistir"

Divulgação/Record TV

José, além de formoso, era jovem quando foi tentado pela esposa de Potifar. É de se esperar que como qualquer rapaz da idade dele, ele era viril e, portanto, tinha suas necessidades físicas bem apuradas, por isso, não foi nada fácil resistir — ele foi contra as suas vontades naturais para não errar contra o seu patrão e muito menos pecar contra Deus.

Mas há quem diga que José simplesmente negou todas as investidas de Neferíades, sem sentir nenhuma atração, um raciocínio tão falho que chega a desvalorizar tudo sobre José! Que tipo de tentação seria se não precisava resistir? Quem foge do que não lhe incomoda em nada?

Esse é o erro de muitos que se dizem fiéis. Enquanto não precisam resistir, são fiéis. Desde que tudo coopere, são fiéis.

Você só sabe se é fiel, quando a sua fidelidade é testada. Quanto maior a resistência à tentação, maior é a fidelidade. E se fugir, melhor ainda.

Fugir da tentação não é covardia, é prudência. José fugiu porque não tinha mais como lidar com tamanha sedução. Chame-o de covarde como quiser, mas ele foi prudente. Ah, se todos fugissem na hora da tentação!

Como o apóstolo Paulo disse em sua carta aos Tessalonicenses: “Abstende-vos de toda a aparência do mal.”  (1Ts 5:22)

Se precisamos fugir da aparência do mal, imagina o próprio mal?

Últimas