Raquel, vilã, como assim?

"Se você só conhece esse lado da história de Jacó, você acaba preferindo Raquel, afinal, ela foi o amor da sua vida, mas quando meditamos na Palavra de Deus, vemos quem era verdadeiramente a escolhida de Deus"

"Raquel não era vilã, mas não era a escolhida de Deus, e sim de Jacó"

"Raquel não era vilã, mas não era a escolhida de Deus, e sim de Jacó"

Divulgação/Record TV

Com a história de Jacó, conhecemos Lia e Raquel.

Lia, a irmã mais velha, que tem os olhos tenros, e Raquel, a mais formosa que conquista Jacó. Ele então trabalha 7 anos para se casar, mas seu sogro o engana e ele acaba se casando com Lia, o que o leva a trabalhar mais 7 anos por Raquel. Se você só conhece esse lado da história de Jacó, você acaba preferindo Raquel, afinal, ela foi o amor da sua vida, mas quando meditamos na Palavra de Deus, vemos quem era verdadeiramente a escolhida de Deus.

- A descendência: Foi com Lia que Jacó gerou Judá, que veio a gerar o Senhor Jesus, o responsável por abençoar todas as famílias da terra.

- A primeira: Por mais que Jacó tivesse amado Raquel, foi com Lia que se casou primeiro. Deus permitiu a trapaça de Labão assim como a trapaça de primogenitura de Jacó. Deus permitiu porque era Lia que Ele tinha escolhido, não Raquel.

- A que chamou atenção de Deus: Deus viu o desprezo que Lia passava e abriu a sua madre (Gn 29:31). Enquanto não fez o mesmo por Raquel que também era estéril. Sabemos que Deus não é como o homem que usa de favoritismo, o que significa que Ele pode trabalhar em Lia, não em Raquel.

- A espiritual: Lia se apegou a Deus pois as vezes que deu à luz, foi grata a Ele através dos nomes que dava aos filhos. Diferente de Raquel, que quando finalmente gerou um filho,  o nomeou José, que significa “O Senhor me acrescente outro filho”. Como se estivesse em uma competição com a irmã, já pensando no próximo filho.

- A fiel: Lia foi desprezada por Jacó a maior parte do tempo e nem por isso vemos nela amargura, espírito de vingança, ou mágoa. Pelo contrário, vemos um amor genuíno, que não dependia do que Jacó fazia ou não por ela. O mesmo não podemos dizer sobre Raquel, que além de vender o seu marido por uma noite a sua irmã, põe a culpa nele por ser estéril, e mente para o pai sobre os ídolos que roubou.

Raquel não era vilã, mas não era a escolhida de Deus, e sim de Jacó. Por isso, veremos o quanto o rapaz, que tinha tudo para ser uma benção, sofrer até sua velhice. Faça a vontade de Deus e veja as consequências (Rm 12:2). Faça a sua e veja as consequências, se é que já não está vendo. A escolha é de cada um.

Últimas