Pan Lima 2019 Brasil tem mais um dia 'dourado' e se isola no 2º lugar do quadro geral

Brasil tem mais um dia 'dourado' e se isola no 2º lugar do quadro geral

Natação, judô e atletismo aumentaram a distância do país verde-amarelo para México, Canadá e Cuba, que de longe veem brasileiros com 36 ouros

  • Pan Lima 2019 | Alexandre Garcia, Carla Canteras e Guilherme Padin, do R7, em Lima, no Peru

Renan Torres, de 20 anos, faturou uma das medalhas de ouro do judô no Pan

Renan Torres, de 20 anos, faturou uma das medalhas de ouro do judô no Pan

Washington Alves/COB

Na quinta-feira (8) de Jogos Pan-Americanos Lima 2019, o Brasil viveu mais um dia com diversas medalhas de ouro, disparou no quadro geral de medalhas e se isolou na vice-liderança, à frente de potências das Américas como Canadá, Cuba e México.

Para alcançar o 36º ouro, a delegação brasileira contou com a natação, o judô e o atletismo, que renderam mais pódios ao país. Abaixo do Brasil no quadro estão México (3º lugar, com 27 ouros), Canadá (4º lugar, com 26 ouros) e Cuba (5º lugar, com 23 ouros).

Confira os principais destaques do dia no Pan de Lima:

Natação garante mais medalhas, sendo dois ouros

A natação brasileira teve mais uma noite vitoriosa em Lima. Na Videna (Villa Deportiva Nacional), foram duas medalhas de ouro (revezamento 4 x 100 m quatro estilos misto e Marcelo Chierighini, nos 100 m estilo livre), duas de prata (Miguel Valente, nos 800 m livre, e Guilherme Guido, nos 100 m costas) e três de bronze (Etiene Medeiros, nos 100 m costas; Viviane Jungblut, nos 800 m livre; e Larissa Oliveira, nos 100 m livre) conquistadas pelo Brasil. 

O destaque da noite ficou para a equipe do revezamento 4 x 100 m quatro estilos misto, que ao fim da prova havia ficado com a prata. Uma revisão, no entanto, apontou o movimento ilegal de um dos nadadores norte-americanos, que tinham faturado o ouro, desclassificando-os da categoria. Assim, o Brasil chegou ao lugar mais alto do pódio.

No atletismo, ouro de novato e classificação direta no 4x100 m

O grande feito do atletismo brasileiro na quinta-feira foi a medalha de ouro de Alison Brendom nos 400 m com barreiras. O atleta de 19 anos começou mal a prova, mas se recuperou aos poucos e assumiu a liderança após a queda de Juander Santos Aquino, da República Dominicana, já na reta final da disputa.

Outro destaque ficou para a classificação automática de nove países à final do revezamento 4x100 m masculino. Inicialmente, seriam cinco equipes em duas baterias, brigando por oito vagas, mas a Colômbia não se apresentou e a organização dos Jogos decidiu colocar as nove restantes na decisão.

Jovens garantem dois ouros no judô

Apenas 20 anos de idade têm os judocas Renan Torres (categoria até 60 kg) e Larissa Pimenta (até 52 kg), responsáveis por duas medalhas de ouro para o Brasil no primeiro dia da modalidade em Lima 2019.

Número 90 do mundo, Renan venceu na final o equatoriano Lenin Preciado, 18º no ranking, no golden score. Já Larissa derrotou a mexicana Luz Olivera, também no golden score, após Olivera receber três advertências por falta de combatividade.

No vôlei, seleção vive situação complicada

Após a boa estreia com vitória por 3 sets a 0 diante de Porto Rico, a seleção brasileira feminina de vôlei sofreu uma dura derrota: contra a Argentina, o Brasil perdeu por 3 a 0. Agora, se quiser avançar à próxima fase, a equipe deverá vencer os Estados Unidos nesta sexta-feira (9), no ginásio Polideportivo Callao.

Do choro ao passinho: as emoções dos atletas brasileiros em Lima

Últimas