Cabeleireiro escondia creche ilegal na Amadora

Na Amadora, um salão de cabeleireiro servia de fachada para uma creche ilegal que funcionava na cave do prédio.
No local estavam 16 crianças entre os 6 meses e os 10 anos.