Representantes das Emissoras Record TV estiveram presentes no encontro realizado pela Abratel em parceria com a SERAD 

Em pauta, o panorama da radiodifusão no Brasil e estratégias do setor.

Comunitária e de Fiscalização da Secretaria de Radiodifusão; André Dias, Superintendente de Rede da
 Record TV; Fernando Machado, vice-presidente da Rede Vitória de Comunicação; Márcio Novaes, presidente da Abratel; Leonardo Petrelli, Presidente Executivo do Grupo RIC; Max Martinhão, Secretário de Radiodifusão; Edson Ferreira, Diretor Comercial e de Negócios do Grupo Cidade de Comunicação; Elton Leoni, Diretor Administrativo da SIC TV; William Zambelli,  Diretor de Outorga e Pós Outorga da Secretaria de Radiodifusão; João Camilo, Coordenador de Relações Governamentais e Comunicação da Abratel.

Comunitária e de Fiscalização da Secretaria de Radiodifusão; André Dias, Superintendente de Rede da Record TV; Fernando Machado, vice-presidente da Rede Vitória de Comunicação; Márcio Novaes, presidente da Abratel; Leonardo Petrelli, Presidente Executivo do Grupo RIC; Max Martinhão, Secretário de Radiodifusão; Edson Ferreira, Diretor Comercial e de Negócios do Grupo Cidade de Comunicação; Elton Leoni, Diretor Administrativo da SIC TV; William Zambelli, Diretor de Outorga e Pós Outorga da Secretaria de Radiodifusão; João Camilo, Coordenador de Relações Governamentais e Comunicação da Abratel.

Divulgação Record TV Emissoras

Na última sexta-feira 06/11, representantes das emissoras Record TV estiveram presentes no encontro realizado pela Abratel, em parceria com a Secretaria de Radiodifusão (SERAD) do Ministério das Comunicações (Mcom), o Encontro Abratel & SERAD 2020. O evento ocorreu na sede da Associação, em Brasília, e contou com a participação de associadas da Abratel das cinco regiões brasileiras, do Secretário de Radiodifusão, Maximiliano Martinhão, e dos diretores Rodrigo Gebrim, responsável pelo Departamento de Radiodifusão Comunitária e de Fiscalização, e William Zambelli, que responde pelo Departamento de Radiodifusão Comercial.

Divulgação Record TV Emissoras

O encontro teve como propósito ouvir as emissoras sobre o atual panorama da radiodifusão no Brasil e traçar estratégias para atender melhor o setor, um dos objetivos da atual gestão da SERAD. Avanços regulamentares, desburocratização, novas tecnologias e o futuro do rádio e da televisão foram algumas das pautas abordadas no evento.
Max Martinhão fez um balanço das ações desenvolvidas até o momento, como a recriação do Ministério das Comunicações. “A recriação do Mcom traz a oportunidade de dar foco às necessidades do setor de comunicações, em particular da radiodifusão”, afirmou.

O secretário de radiodifusão destacou a importância da multiprogramação em tempos de Covid-19, que “tem sido importante para auxiliar a manutenção da educação por meio da televisão no interior do nosso país”, avaliou. Também falou da recente decisão do Ministério referente à flexibilização da A Voz do Brasil para a transmissão de jogos de futebol. Segundo Max, a medida irá ajudar as rádios de todo país a ampliar sua cobertura e audiência neste momento de pandemia que o país atravessa.

Martinhão fez um balanço positivo do Encontro. “Tivemos a oportunidade de aprender sobre as necessidades do setor e aquilo que nós, como Governo Federal, devemos fazer para o apoiar o rádio e a televisão. A radiodifusão é um serviço prestado por brasileiros, produz conteúdo nacional, defende a nossa cultura e chega à casa do cidadão brasileiro gratuitamente. Então, nós precisamos, enquanto Governo Federal, entender as demandas das emissoras para continuar apoiando esse serviço que é essencial para o país”, afirmou.

"Esses encontros são imprescindíveis para que os radiodifusores possam compreender como funciona o trabalho do Governo em prol das comunicações. Da mesma forma, com a visão de quem faz a radiodifusão acontecer no dia a dia, podem contribuir com sugestões para a construção do futuro do rádio e da televisão no Brasil", destacou o Superintendente de Rede, André dias.

Em 2021, a SERAD tem desafios fundamentais relacionados à integração da internet e a chegada do Ginga D nos televisores brasileiros. A partir desta demanda, “será preciso discutir também o futuro da regulamentação do setor”, apontou Max. “De certeza, 2021 será um ano de grandes discussões para a radiodifusão que cuidarão para o que a televisão, com os seus 70 anos, e o rádio, com mais de 90 anos de atuação, continuem com um futuro longínquo e prestando um bom serviço ao povo brasileiro”, concluiu.

A Abratel realizará o encontro periodicamente. “É sempre de grande valia colocar em pauta e dialogar sobre as necessidades e os avanços da radiodifusão. É uma oportunidade ímpar para as nossas associadas estarem mais perto do Ministério das Comunicações e contribuírem para a modernização do rádio e da televisão no país”, afirmou Márcio Novaes, presidente da entidade.