Novidades Branca Messina revela o que aprendeu ao interpretar Ana em Reis: "Ela me ensinou a não desistir"

Branca Messina revela o que aprendeu ao interpretar Ana em Reis: "Ela me ensinou a não desistir"

Atriz participou do podcast Fora de Série ao lado de Fernando Pavão (Elcana) e Júlia Guerra (Penina)

Fernando Pavão, Júlia Guerra (à dir.) e Branca Messina (à dir, de vermelho) participam do podcast Fora de Série

Fernando Pavão, Júlia Guerra (à dir.) e Branca Messina (à dir, de vermelho) participam do podcast Fora de Série

Reprodução/Instagram

Os atores Branca Messina, Fernando Pavão e Júlia Guerra, que interpretam Ana, Elcana e Penina, respectivamente, na primeira temporada da superprodução Reis, participaram do podcast Fora de Série no dia 5 de abrilem um bate-papo descontraído com a jornalista Ana Carolina Cury sobre carreira e desafios profissionais na Record TV. 

Logo no início da conversa, Júlia deixou claro que o conflito entre Ana, Elcana e Penina existe apenas no set de gravações. “A gente se deu super bem. O que tive com a Branca [Messina] e com o [Fernando] Pavão foi uma relação de parceria. Fiquei muito feliz. Trabalhar com os dois foi incrível. Amo vocês, pessoal”, afirma.

O ator concordou com a declaração da parceira de cena: “A admiração que você tem pelo colega e a confiança no trabalho é uma coisa que fica bem impresso no resultado da produção. Realmente, foi um encontro bem bonito de nós três”, destaca.

No enredo principal dos personagens, Ana era estéril e sofria por sua condição. Casada com Elcana, a mulher permitiu que ele seguisse a sua descendência com Penina.

Apesar disso, Elcana sempre foi apaixonado por Ana e não via a situação como um problema. A atriz Branca Messina elogia o companheirismo do casal na trama: “É uma relação de amor, né? Porque senão a mulher fica ali somente como um portal para os filhos”, observa.

Escolhida para gerar os herdeiros de Elcana, Penina fazia questão de provocar Ana e a insultar a todo momento com comentários maldosos. “É de uma maldade muito grande. Ela [Penina] vai na maior dor de Ana”, pontua Branca.

Apesar de ser casado com duas mulheres, como era comum na época, Elcana sempre fez questão de priorizar Ana em sua vida. “Ele nunca escondeu isso e acho que devia magoar muito a Penina”, destaca Pavão. 

Como prova de fé, Ana foi ao Tabernáculo para clamar a Deus por seu desejo de ser mãe. Algum tempo depois, a jovem deu à luz Samuel e cumpriu a promessa de devolver a criança ao Senhor. A atitude de Ana incomodou Penina. “Acho que ela [Penina] entendia o vínculo de Ana com o Criador, mas ainda assim, tentou fazer com que Ana se sentisse culpada. Era a última cartada dela”, supõe Júlia.

Ao final da conversa, a atriz revela o que aprendeu com Penina: “Eu tentei me colocar naquele lugar e tentar entender o porquê ela agia daquela maneira”, reflete.

Branca Messina também destacou os aprendizados ao interpretar Ana. “Aprendi a não desistir. Às vezes vamos para o fundo do poço mesmo, faz parte. Ela [Ana] provou que é possível transformar os desafios da vida em grandes missões”, pontua. 

Fernando Pavão encerrou o bate-papo ao revelar qual cena mais o marcou como Elcana. “Com certeza foi a entrega do Samuel. Para quem tem filhos, dá para ter uma dimensão do que é isso. Essa foi a maior prova de amor de Elcana para Ana, justamente pelo tamanho da dor”, finaliza. 

Acompanhe o podcast na íntegra:

Assista à superprodução Reis de segunda a sexta-feira, às 21 horas, e aos sábados, confira os melhores momentos da série no mesmo horário, na tela da Record TV.

Últimas