Repórter Record Investigação Repórter Record Investigação mostra o drama de quem vive às margens da Estrada de Ferro Carajá

Repórter Record Investigação mostra o drama de quem vive às margens da Estrada de Ferro Carajá

Comandada por Adriana Araújo, a nova temporada do programa estreia nesta quinta (7), a partir das 22h30

Adriana Araújo e as equipes do programa acompanham um dos maiores trens de carga do mundo

Adriana Araújo e as equipes do programa acompanham um dos maiores trens de carga do mundo

Divulgação/Record TV

Na estreia da nova temporada, a jornalista Adriana Araújo e as equipes do Repórter Record Investigação seguem os trilhos de um dos maiores trens de carga do mundo para mostrar o drama de quem vive às margens da ferrovia. E também descobrem esquemas de corrupção que desviaram mais de 115 milhões de reais dos cofres públicos

A partir da análise de mais de duas mil páginas de documentos junto com autoridades e especialistas nos últimos quatro meses, Adriana Araújo e os jornalistas Gustavo Costa, Laura Ferla e Mariana Ferrari pegaram a estrada com a missão de mostrar como o vai e vem dos trens que carregam minério de ferro afeta milhares de famílias ao longo da Estrada de Ferro Carajás.

Durante 24 dias, rodaram mais de 4 mil quilômetros por rodovias precárias e vias de terra.

Na rota da locomotiva, que corta os estados do Pará e Maranhão, nossas equipes também investigaram organizações criminosas responsáveis pelo desvio de mais de R$ 115 milhões.

Todo esse dinheiro deveria ter sido investido principalmente na saúde e educação dos mais pobres, prejudicados diretamente pela passagem dos trens. Só que acabou no bolso de funcionários públicos, ex-prefeitos e empresários, de acordo com o Ministério Público.

O Trem

O vai e vem constante dos vagões dita o ritmo da vida em parte da região Norte e Nordeste do País. Nossa viagem seguiu os trilhos da estrada de ferro, desde a Serra dos Carajás, no Pará, onde fica a maior mina de minério de ferro a céu aberto do planeta, até São Luís, no Maranhão.

Do porto da capital, a riqueza levada pelos vagões segue para exportação. São quase 1000 km de trilhos que atravessam 28 cidades e uma centena de povoados e pequenas comunidades. Um único trem puxa 34 toneladas de minério de ferro.

Não há dúvida da importância da ferrovia Carajás para economia do Brasil e para geração de empregos. Mas quem vive perto dos trilhos sabe que essa não é uma história apenas de progresso. Por onde o trem passa, deixa uma realidade de sofrimento, miséria e corrupção.

Reportagem mostra o drama de quem vive às margens da Estrada de Ferro Carajás

Reportagem mostra o drama de quem vive às margens da Estrada de Ferro Carajás

Divulgação/Record TV

A vida à beira dos trilhos é sempre arriscada. Mãe e filho quase morreram debaixo da locomotiva em movimento.

O trem estava parado na linha, impedindo a travessia dos pedestres. Foi quando muita gente começou a atravessar por baixo dos vagões. Mas no momento em que Adriana com seu bebê no colo tentou fazer o mesmo, o trem se moveu rapidamente.

"Ficamos presos debaixo do trem. Pensei que fôssemos morrer. Trezentos vagões passaram por cima de mim, toneladas de ferro. Eu perdi dois dedos e uma parte da mão. Derik teve que amputar o braço", relembra Ediana, emocionada.

Mas muitos atropelamentos terminam em luto. Simone perdeu a filha de 16 anos atropelada pelo trem. O acidente aconteceu há cinco meses. Cleane comemorava o Dia dos Pais com a família. Na volta pra casa, encontrou os vagões parados e tentou atravessar por baixo deles. "Só me lembro de ter ouvido o grito dela", conta a mãe.

Nossas equipes também vão mostrar que, ao levar o minério de ferro para siderúrgicas, os vagões deixam uma nuvem de poeira que compromete a saúde das pessoas, além de contaminar os rios da região — um dos poucos lugares que as crianças têm para brincar.

A Corrupção

O Repórter Record Investigação teve acesso a contratos, documentos e vídeos exclusivos que revelam esquemas milionários de desvio de recursos envolvendo vários municípios cortados pela ferrovia. 

Repórter Record Investigação também mostra detalhes do esquema de corrupção que desviou mais de R$ 115 milhões

Repórter Record Investigação também mostra detalhes do esquema de corrupção que desviou mais de R$ 115 milhões

Divulgação/Record TV

Juntando todos os processos levantados pelas nossas equipes, descobrimos que mais de R$ 115 milhões desapareceram dos cofres públicos de várias cidades do interior do Maranhão.

Dinheiro que deveria ter sido investido na educação e saúde dos mais pobres. Mas, segundo autoridades, foi parar nas mãos de ex-prefeitos, empresários e servidores públicos.

Com o objetivo de mostrar a falta de posto de saúde e atendimento médico em uma comunidade carente de Itapecuru Mirim, no interior do Maranhão, por causa do dinheiro que sumiu, nossas equipes começaram a gravar com as irmãs Maria do Carmo e Maria das Graças. Só que Maria do Carmo desmaiou em frente às câmeras.

A partir daí, tiveram que correr contra o tempo em busca de socorro, atrás de uma Unidade Básica de Saúde, para salvar a vida de Maria do Carmo. Mas o que encontraram foi o reflexo da corrupção instalada na cidade: postos de saúde abandonados, falta de médico e descaso. O desfecho desta história você vai ver no programa. Você não pode perder!

No esquema de corrupção que desviou R$ 32 milhões da prefeitura de Itapecuru Mirim tem de tudo: empresas fantasmas, nepotismo e licitações de fachada.

Esse dinheiro deveria ter sido aplicado na construção de salas de aula, poços artesianos, pavimentação de ruas e investimento em projetos de saneamento básico.

De acordo com autoridades, o ex-prefeito Magno Amorim era o chefe da quadrilha. O esquema contava com várias pessoas dentro e fora da prefeitura: seis secretários municipais, entre eles, a esposa e a irmã de Magno, sete funcionários públicos, um deles procurador da cidade e cunhado do ex-prefeito, além de 14 empresários, um contador e engenheiro.

As irregularidades começavam antes mesmo das licitações. As empresas que participavam eram fantasmas, abertas com documentos falsos.

Nossos repórteres registraram imagens dos acusados em desvios de recursos e conversaram com eles. Você vai se surpreender com o resultado da investigação.

Você não pode perder a nova temporada do Repórter Record Investigação, com Adriana Araújo. É nesta quinta-feira, às 22h30, logo depois da novela Jesus.

Últimas