Repórter Record Investigação Repórter Record Investigação revela quem comanda as quadrilhas especializadas em roubo de gado

Repórter Record Investigação revela quem comanda as quadrilhas especializadas em roubo de gado

Programa desta quinta (17) mostra como agem esses criminosos que amedrontam produtores rurais 

No Sul do país,  quadrilhas especializadas em roubo de gado amedrontam produtores rurais

No Sul do país, quadrilhas especializadas em roubo de gado amedrontam produtores rurais

Divulgação/RecordTV

Nesta quinta-feira (17), o Repórter Record Investigação revela quem comanda as quadrilhas especializadas em roubo de gado no Sul do Brasil.

No Sul do país, na fronteira com o Uruguai e Argentina, quadrilhas especializadas em roubo de gado amedrontam produtores rurais e deixam muitas vítimas sem dinheiro até para pagar as contas.

O programa desta quinta (17) traz à tona quem está por trás desse crime, cada vez mais comum naquela região, e mostra interceptações telefônicas dos criminosos em ação.

A reportagem exclusiva é de Daniel Motta, Michel Mendes e Larissa Werren.

Em Cacequí, a 400 km de Porto Alegre, os criminosos tiram o chão de quem não tem quase nada. A cidade de apenas 12 mil habitantes é considerada a capital do abigeato, que significa roubo de gado.

Luiz Cláudio é borracheiro, para ajudar no sustento da mulher e dos quatro filhos, cria animais no quintal de casa. A única vaca que garantia o leite das meninas pequenas foi roubada. "Os bandidos arrancaram o leite da boca dos meus filhos. Agora vou ter que arrumar dinheiro para comprar", lamenta Luiz Cláudio.

A família de dona Janete também lamenta: os filhos foram obrigados a abandonar a faculdade porque ficaram sem dinheiro após uma quadrilha roubar onze vacas do sítio. "Ficou tudo muito apertado para nós, o jeito foi eles desistirem do sonho de estudar.

Mesmo proprietários que investem em segurança e tecnologia estão vendo o gado desaparecer de suas terras. Por isso, investigam por contra própria o sumiço dos animais. "Já tive prejuízo de uns R$ 300 mil. Esses bois já morreram ou foram abatidos", conta Gabriel Giacomini.

Os criminosos também usam o rio que corta a fronteira Sul do pais para contrabandear o gado de um lado para o outro. "Aqui no limite do Brasil com Uruguai não tem fiscalização, os bandidos chegam nas propriedades em pequenas embarcações, encostam e atacam", descreve Pedro Severo, que faz parte da quarta geração a cuidar das fazendas da família em Barra do Quaraí.

E nossos repórteres ficam frente a frente com vários acusados pela polícia de praticarem o crime de abigeato.

Não perca o Repórter Record Investigação desta quinta (17), logo após a série A Bíblia, às 22h30.

Últimas