Repórter Record Investigação Hoje paratleta, Camila relembra o crime que a deixou em uma cadeira de rodas 22 anos atrás

Hoje paratleta, Camila relembra o crime que a deixou em uma cadeira de rodas 22 anos atrás

Em 3 de setembro de 1998, ela tinha 12 anos quando, saindo da escola, se viu no meio de um confronto entre assaltantes e seguranças de uma joalheria

Não é de hoje que a violência urbana vitima crianças no Rio de Janeiro. Em 3 de setembro de 1998, Camila tinha 12 anos quando, saindo da escola, se viu no meio de um confronto entre assaltantes e seguranças de uma joalheria. Ela foi atingida por um tiro e ficou tetraplégica. Depois de 22 anos, ela é hoje uma funcionária pública, além de paratleta, e tem sua independência financeira, mas não nega que alguns sonhos tenham ficado para trás. A polícia nunca descobriu de quem partiu o tiro que a feriu e, depois de mais de duas décadas, ninguém foi preso pelo crime.

Últimas