Repórter Record Investigação Trabalho exaustivo, salário ínfimo: a rotina degradante de um pescador de sururu em Alagoas

Trabalho exaustivo, salário ínfimo: a rotina degradante de um pescador de sururu em Alagoas

Repórter Record Investigação acompanhou a situação dos sururuzeiros durante 16 dias

O barulho dos remos quebra o silêncio da madrugada na lagoa do Mundaú, em Alagoas. São os sururuzeiros, pescadores de sururu, um molusco apreciado na culinária, mas que paga muito pouco aos trabalhadores que se arriscam para buscá-lo. Silvio, de 21 anos, não esconde o descontentamento. Diante de uma rotina exaustiva que lhe paga uma quantia insuficiente para uma vida digna, ele comove ao dizer que não é feliz.

Últimas