Novidades Sílvia Pfeifer diz que Mariinha representa "luta muito grande"

Sílvia Pfeifer diz que Mariinha representa "luta muito grande"

Mãe de Antônio (Felipe Cunha) e Gabriela (Rafaela Sampaio), personagem cria os filhos sozinha, no Vidigal, e comanda o restaurante Cantinho da Laje

  • Novidades | Bruna Oliveira, do R7

Mariinha é dona do restaurante "Cantinho na Laje".

Mariinha é dona do restaurante "Cantinho na Laje".

Blad Meneghel/Record TV

Escalada para viver personagens elegantes ao longo da carreira — até por ter sido modelo —, a atriz Sílvia Pfeifer surpreende o público no papel da humilde cozinheira Mariinha em Topíssima. Mãe de Antônio (Felipe Cunha) e Gabriela (Rafaela Sampaio), a mulher é uma típica batalhadora, que não só cria os filhos sozinha, na comunidade do Vidigal, como também está à frente do restaurante Cantinho da Laje.

E, apesar de ser muito honesta, um dos primeiros conflitos que apresentados na trama de Mariinha foi o drama familiar por acusações de envolvimento dos filhos com drogas.

“Ela é uma figura que representa uma luta muito grande. Mariinha criou esses filhos com dificuldades. Imagino eu que, até antes do restaurante, fazendo uma comida para fora. Mas agora começa acontecer um monte de coisa. O Antônio é acusado de ter envolvimento com o tráfico e a menina, usuária de drogas, quiçá, vendedora também. Então, acho que  isso é uma angústia muito grande, porque ela tem absoluta certeza de que não [são culpados]”, comenta a atriz.

Em entrevista ao site oficial, Sílvia Pfeifer se mostrou empolgada com a oportunidade de interpretar uma personagem diferente de tudo o que já fez na TV somado ao desafio de mostrar a realidade das mulheres que ocupam as camadas mais populares da sociedade. 

“Fiz uma novela, em Portugal, em que a personagem também tinha mil problemas com os filhos, marido, namorado, mas não tinha essa batalha que a origem da pessoa mais simples traz, que é ficar em alerta o tempo inteiro porque cada dia é uma batalha intensa para botar dinheiro em casa. Acho que não havia tido essa experiência com o perfil de mulher batalhadora da hora que acorda até a hora que deita.”

A atriz destacou ainda que esta característica de mulher trabalhadora vai ficar marcada na maior parte das cenas porque, segundo ela, Mariinha sempre aparecerá em ação na novela.

“O Foguinho [Rudi Lagemann, diretor-geral] já veio com essa proposta de ela estar sempre ocupada, nunca descansando. Nas cenas mais dramáticas, aí pode parar ação um pouquinho e olhar olho no olho. Mas a proposta é mostrar que ela está batalhando o dia inteiro e não tem tempo para ficar chorando”.

Com uma interpretação muito sensível da história, Sílvia destacou que o ofício escolhido por Mariinha já demonstra a essência da personagem.

“Quem trabalha na cozinha se doa, faz a comida para o outro comer, quer que o outro goste da comida. É uma bela forma de doação. É um ato de amor”.

Por fim, a atriz ressaltou que o Cantinho da Laje, sob o comando de Mariinha, promete encantar o público. 

"É um lugar de muita confraternização, frequentados por fregueses antigos e assíduos. Muitas vezes será um lugar de alegria e teremos convidados especiais. Então, isso vai dar uma iluminada no Cantinho da Laje e na novela toda".

Últimas