Novo Coronavírus

RecordTV Veja como higienizar a comida delivery em tempos de pandemia

Veja como higienizar a comida delivery em tempos de pandemia

Dr. Bactéria dá orientações importantes para quem não abre mão do conforto de pedir comida pelo aplicativo ou telefone

  • RecordTV | Juliana Lambert, do site oficial

Dr. Bactéria mostra a melhor maneira de higienizar a comida delivery

Dr. Bactéria mostra a melhor maneira de higienizar a comida delivery

Hans Braxmeier por Pixabay

Se tem algo que não dá para abrir mão em tempos de pandemia é a alimentação. Por isso, mesmo quem está em distanciamento social vai ao mercado quase que semanalmente para abastecer a despensa.

Há também quem tem usado e abusado dos pedidos de comida delivery, seja para ajudar pequenos negócios ou para se presentear com novos sabores, desfrutando de muita comodidade. Mas como garantir segurança e ficar longe do coronavírus?
Segundo o biomédico Roberto Figueiredo, mais conhecido como Dr. Bactéria, existem literaturas que apontam que o coronavírus pode resistir por três dias em superfícies de aço inox e plástico, e até um dia no papelão. Mas, ao mesmo tempo, o especialista alerta: “Isso não significa que a quantidade encontrada teria condições de provocar uma infecção”.

Os cuidados com pedidos de alimentos delivery devem começar muito antes da chegada do portador. “É melhor realizar o pagamento diretamente pelo celular ou pelo computador. Evite pagar na hora com cartões ou dinheiro. Se não for possível, dê preferência ao cartão. Depois, é só higienizar com álcool em gel”, sugere.

A embalagem também merece atenção especial. “Em um pulverizador, ou seja, essas bombinhas usadas para regar a samambaia, coloque uma solução com duas colheres de sopa de água sanitária por litro de água e passe sobre as embalagens”, recomenda.

O Dr. Bactéria também sugere que esses alimentos prontos sejam retirados das embalagens e colocados no micro-ondas por pelo menos 30 segundos. “Isso ajuda a fazer uma pequena eliminação de micro-organismos. Com relação a pizza, não é possível. Nesse caso, você só higieniza a embalagem”, explica.

Mas a favorita entre os pedidos delivery também exige cuidado: “Nas pizzas, evite azeitona, cebola e rúcula, pois esses ingredientes são acrescentados no final, quando a pizza já está pronta para ir para o cliente. A pessoa pega com as mãos e joga por cima, sem nenhum tratamento posterior que ajudaria a eliminar a contaminação”, esclarece o Dr. Bactéria.

O especialista ainda pede atenção com a culinária japonesa, sobretudo sushi e sashimi, alimentos manipulados. “Evite alimentos crus, os cozidos e fritos podem ser utilizados sem problema nenhum”.

No mercado

Dr. Bactéria alerta para os cuidados com produtos adquiridos no mercado e observa que não devem ser tomados apenas em caso de pandemia. “Enlatados, vidros com produtos em conserva como, por exemplo, palmito, devem ser higienizados com uma solução feita com duas colheres de sopa de água sanitária por litro de água. Nesse caso, é importante para evitar urina de rato, que provoca leptospirose [infecção causada por bactéria] e também outros insetos que possam ter passado”, finaliza.

Últimas