Câmera Record Câmera Record mostra histórias de quem ultrapassou limites em busca de um corpo musculoso

Câmera Record mostra histórias de quem ultrapassou limites em busca de um corpo musculoso

No programa deste domingo (29), o homem conhecido como "Hulk" brasileiro conta como a procura por um físico forte o levou a um atalho perigoso

Câmera Record mostra as histórias de quem ultrapassou os limites para conseguir um corpo musculoso

Câmera Record mostra as histórias de quem ultrapassou os limites para conseguir um corpo musculoso

Divulgação/RecordTV

Neste domingo (29), Câmera Record mostra as histórias de quem ultrapassou os limites para conseguir um corpo musculoso.

Nome de craque, apelido de personagem dos quadrinhos e dos filmes, Romário dos Santos, 31 anos, cultivou desde cedo músculos que lhe renderam a fama de "Hulk brasileiro". Morador de Caldas Novas, em Goiás, ele começou a malhar aos 16 anos. A busca por um corpo de aparência forte, no entanto, o levou a um atalho perigoso: ele chegou a fazer aplicações de synthol - óleo injetável, que ajuda a inflar os braços. "Cada mês, meu braço tinha uma medida diferente", conta.

O Hulk brasileiro ficou grande, mas não satisfeito. "Acaba virando uma obsessão e tudo que vira obsessão, acaba afetando o seu psicológico. Eu entrei em depressão, crise de ansiedade, foi uma fase muito complicada da minha vida", ele admite.

O Câmera Record encontrou Romário pela primeira vez em 2018. Ele malhava de domingo a domingo e comia nove refeições por dia – um volume de comida capaz de encher uma bacia. Três anos depois, o Hulk de Goiás está arrependido. "Foi um personagem que eu encarnei alguns anos atrás pra poder substituir um vazio que eu tinha em mim", afirma. Mas e agora? Como lidar com os braços inflados - uma situação que parece irreversível?

No Rio de Janeiro, encontramos outro 'Hulk'. Antônio Carlos Geraldo ganhou fama ao lado do amigo Álvaro Pereira - que, por sua vez, ficou conhecido como Conan. Os dois chegaram a usar medicamentos de uso veterinário em busca dos músculos.

Hoje, o Hulk carioca tem que lidar com as consequências do excesso de exercícios. Sente as dores de hérnias e tem dificuldade para andar. "Eu sabia que aquilo ali também poderia trazer consequências, mas mesmo assim eu arrisquei", diz Antônio Carlos. Hoje, ele também já não conta com a parceria do amigo Álvaro, 'Conan' morreu.

Você vai entender os detalhes desta história no Câmera Record deste domingo (29), depois do Domingo Espetacular, com apresentação de Marcos Hummel.

Últimas